quinta-feira, 19 de junho de 2008

Culinária duvidosa...

Gostava de partilhar com os dedicados leitores deste blog uma história.
Tenho um professor que é uma personagem engraçada (à falta de melhor adjectivo). Imaginem um Belga alto, magro, com um aspecto sério, ajeitando ocasionalmente os óculos no seu nariz, enquanto nos observa com olhar inquisidor. No entanto, no interior daquela postura recta, tem escondido um agradável sentido de humor. Este professor lecciona Bioinformática.
Uma possível definição de Bioinformática pode ser: "Disciplina que consiste na aplicação das ferramenta informáticas, na aquisição, armazenamento, e tratamento estatístico e informático de grandes quantidades de dados de natureza biológica".
O que pretendo partilhar é um exercício, que reflecte o seu sentido de humor:
"Resolve almoçar durante o fim de semana em casa do seu cunhado, uma pessoa conhecida pelo seu gosto culinário duvidoso. Confrontado com um AFNI (alimento funesto não identificado), decide guardar uma amostra. A sequenciação parcial de um gene codificando para RNA ribossomal deu a seguinte sequência: "aagattaagc catgcatgtc tcagtgcaag ccgcattaag gtgaaaccgc gaatggctca ttaaatcagt tatggttcct tagatggtgg acagttactt ggataactgt ggtaattcta". Afinal que comeram?
a) Periplaneta americana (barata)
b) Lumbricus terrestris (lombriga)
c) Homo sapiens (já sabem)
d) Physeter macrocephalus (cachalote)"
Imaginem que se deparam com questões deste tipo a meio do exame. É impossível não esboçar um sorriso.
Nota: Se algum curioso quiser saber a resposta, proceda do seguite modo (o exame é com recurso à internet):
- Dirija-se ao European Bioinformatics Institute (EBI) - http://www.ebi.ac.uk/;
- Clique em Tools, Similarity & Homology, Blast, NCBI-Blast2 nucleotide;
- Escreva: ">seq1", seguido de enter e em baixo coloque a sequência de RNA dada no enunciado;
- Feito isso clique em Run Blast e aguarde o resultado.
Obtém-se a resposta que a alimentação fora à base de Periplaneta americana.

1 comentário:

LC disse...

Já fiz a experiência. Que belíssimo jantar! Na Amazónia é que também costuma ir um pratinho de periplanetas em família!